Contos de Fadas em suas versões originais

Hola, muchachos!

Depois de passarmos décadas amaldiçoadas, sem postar nada no FTale, estamos de volta. E o que melhor pra começar novamente com a nossa atividade, do que uma coisa que fala diretamente sobre o assunto central do blog, os contos de fadas originais, bizarros e mirabolantes? Pois é. Resolvi fazer esse post pra ajudar a divulgar um projeto muito especial pra mim, o Contos de Fadas em suas versões originais, criado pela Marina Avila, da Editora Wish.

Esse projeto consiste na publicação de contos de fadas originais (ah vá), organizados pela Marina, em um livro ilustrado, contendo vários contos, de vários autores, todos em suas versões clássicas, e ~sem censura~. Ele está disponível para apoio no Catarse, um site de financiamento coletivo – genial, por sinal. Só pelas imagens divulgadas no site, podemos ver a beleza e o capricho da publicação, o que mostra pra gente todo o cuidado que a equipe de profissionais da Wish tem ao fazer esses livros. Sem falar nos brindes lindos que eles tão oferecendo, né? Tem marcadores de página, ecobags e até posteres de ilustrações do Kay Nielsen! Abaixo, mostro três dos kits, só pra vocês terem um gostinho:

Eu já havia postado um conto do livro aqui no blog, o A Pequena Sereia, do Andersen, porém ainda não tinha o livro e, confesso, nem me liguei que era parte de um (shame *sino batendo*). O post tá aqui, linkando o Scribd da Marina, pra quem quiser dar uma conferida. (O conto Prado Verde, do Giambattista Basile, que já postamos há algum tempo, vai estar presente nessa terceira edição!)

Mesmo que vocês ainda não tenham ouvido falar desse projeto da Wish, corram atrás! Enfim, caso vocês queiram adquirir os livros, e de quebra apoiar essa iniciativa maravilhosa, entrem nesse link. Existem vários pacotes pra vocês quebrarem a cabeça tentando escolher (o financiamento tá chegando perto do fim, então se apressem!). Eu já garanti o meu, e logo logo pretendo resenhar esse último volume, juntamente com os dois primeiros, que adquiri quando apoiei os dois outros projetos, há algum tempo, já.

Eai, bora lá?

Laís

Aesop’s Illustrated Fables

Na minha visita a Orlando, em dezembro de 2013, tive a oportunidade de entrar na famosa Barnes & Noble e, é claro, como qualquer um que goste de livros, pirei lá dentro. Fui para a seção de clássicos e lá eu me deparei com um bocado de edições mais que lindas (já falei sobre uma delas aqui e aqui), inclusive essa que está no título. Eu já havia lido algumas dessas fábulas num livro infantil que comprei numa feirinha que teve na minha escola e sempre levei como lição todas as morais das fábulas que li. Quando vi o livro, não pude deixar de comprá-lo, ainda mais porque o preço lá foi suuuuuper em conta para um livro tão bem trabalhado.

Ele tem 455 páginas e conta com ilustrações de Walter Crane, Ernest Griset e Arthur Rackham.

Tirei algumas fotos do meu livro para que vocês possam dar uma olhadinha (e babar) e separei e traduzi uma fábula pequenininha dele. Eu encontrei essa mesma fábula pela internet, mas é de outra edição e com outras palavras, então resolvi passar do jeitinho que está no meu livro! A moral continua intacta, não se preocupem!

O Leopardo e a Raposa

“Um dia o Leopardo, na presença da Raposa, foi muito notório ao louvar as manchas em sua pele. A Raposa por conta disso falou a ele que, por mais bonito que fosse, sua beleza ainda era maior.

– Sua beleza é apenas do corpo – disse a Raposa. – A minha é da mente.

Beleza é superficial.”

Sei que muita gente pode achar clichê ou até mesmo bobo, mas se levarmos em consideração a época em que essas fábulas foram escritas e pensadas, acaba se tornando algo além do sagaz. Pretendo traduzir mais algumas dessas fábulas e postar aqui!

Você pode ver o preço que paguei pelo livro e até comprá-lo, se quiser, no site da própria B&N.

Alícia

Grimm’s Complete Fairy Tales

Depois de um longo e tenebroso inverno, resolvi voltar e iluminar (hááá) esse blog com um post sobre um livro super lindo que comprei durante minha viagem em dezembro de 2013! O livro se chama Grimm’s Complete Fairy Tales, tem 721 páginas e capa dura, é bem pesadão.  Nele estão presentes os contos completos dos irmãos Grimm com ilustrações belíssimas do Arthur Rackham!

Diferente do que muita gente deve estar pensando, o livro foi bem barato, já que pude comprar na própria Barnes & Noble  (que é um sonho, um sonho!), mas vocês também podem adquirir o livro por meio da loja virtual deles! Acho que vale muito a pena para quem gosta de livro bonitos, contos de fadas e ilustrações lindíssimas. É um livro pra vida toda.

Algumas fotos que eu tirei dele para quem quiser dar uma olhadinha:

Juro que, assim que eu ficar menos preguiçosa, tiro fotos melhores e preparo um post só com fotos dele para mostrar a vocês!

PS.: Pretendo me fazer mais presente no blog com a Emily, a Mel e a Laís nessas férias, prometo.

Alícia

História meio ao contrário, de Ana Maria Machado

Nós temos sempre o costume de encontrar o “era uma vez” no começo e o  “viveram felizes para sempre” no fim das histórias, mas as coisas são diferentes nesse conto de Ana Maria Machado, vencedora do Hans Christian Andersen e imortal da Academia Brasileira de Letras.

Lançado em 1978, o livro conta sobre o que veio depois de um desses “viveram felizes para sempre”, depois que o príncipe já virara rei, e mostra que essa felicidade eterna talvez não seja tão divertida quanto parece. Apesar de continuar sendo, ao meu ver, um conto de fadas, ele fala mais sobre o povo do reino do que da própria realeza (o que me deu até um gostinho de realismo mágico ao ler).

Além dessa história… meio ao contrário (é difícil encontrar outro adjetivo, sério!), a autora ainda dialoga com o leitor em sua escrita, e isso a torna deliciosa.

Se você gosta desse tipo de “releitura” da forma como são escritos os contos de fada com certeza vai amar História meio ao contrário. E se tiver a oportunidade de ler a nova edição, com ilustrações do Renato Alarcão, vai amar mais ainda.

Alguém aí já conhecia o livro? Até agora não acredito que ele esteve por aí há tanto tempo e só vim conhecê-lo agora!

Emily

O Livro das Cartas Encantadas

Cartas Encantadas Capa.indd“Nesta história, a fada Gwenhyfar leva o leitor a um mundo secreto e repleto de magia. Ela decide revelar algo que guardou por muitos anos – a correspondência secreta trocada entre as princesas Branca de Neve, Cinderela e Bela Adormecida. Mas aqui, as três personagens são bem diferentes das versões mais conhecidas pelo público. Branca de Neve vê-se obrigada a fugir da ira de sua mãe, que não suporta o fato de ela ser a mais bela do reino. Mesmo assim, a jovem mostra-se confiante com relação ao seu futuro. Bela Adormecida, revoltada, não se conforma com a maldição que recebeu e faz de tudo para evitá-la. Cinderela, depois de ter sido relegada à condição de empregada de sua madrasta, conforma-se com sua situação e nada faz para mudá-la, até que um dia sua fada-madrinha chega. Enclausuradas, a única maneira que têm para se comunicar é enviar cartas umas às outras.”

Quando lemos um conto de fadas, é nos apresentada uma história simples, que quase nunca explora bastante a humanidade das personagens. Por isso, quando Gwenhyfar nos mostra a série de cartas que as prováveis princesas mais populares do mundo trocaram, temos um livro surpreendente. Bem sinceras, Branca, Cindy e Bela falam sobre experiências antes, durante ou depois dos ocorridos em seus contos clássicos, sobre suas ansiedades, desejos e pensamentos. Certo, não é apenas surpreendente. Quando descobrimos que elas eram muito mais do que meninas esperando que alguém as salvasse, e sim pessoas como eu, ou você, ou uma amiga, que vivem muito mais do que apenas um romance, o livro se torna apaixonante.

Pra completar, as páginas da publicação são enfeitadas, como se elas tivessem usado papel de carta para escreverem (o da Bela Adormecida com fadinhas, o da Branca de Neve com a maçã e o da Cinderela com o sapatinho de cristal). Tem como ser melhor?

“O Livro das Cartas Encantadas”, escrito pela Índigo, é o primeiro brasileiro sobre contos de fada que eu li (e até onde lembro, o único até agora), o que me fez amá-lo mais ainda, e é uma leitura que indico a todos que amam histórias de princesa. Ah, você pode encontrar o primeiro capítulo do livro disponível no blog que a autora mantém, o Livros da Índigo.

Emily