Pele de Asno, de Charles Perrault

O Pele de Asno é um dos contos que estão no livro Contos de Mamãe Gansa, do qual eu já falei aqui, do Charles Perrault. De acordo com o Wikipédia, os Grimm escreveram uma outra versão dele (que vai tar aqui pelo Ftale, também, se a gente achar).

“Era uma vez um boníssimo rei, a quem o povo muito amava e os vizinhos muito respeitavam, sendo por isso o rei mais feliz do mundo. Além do mais, ele teve a sorte de casar-se com uma princesa linda e igualmente virtuosa, que lhe deu apenas uma filha, porém tão encantadora, que os pais viviam num verdadeiro êxtase.

No palácio real, havia abundância de tudo e muito bom gosto. Os ministros eram muito sagazes e habilidosos, os cortesão, muito dedicados, e os empregados, muito leais. Na grande estrebaria, havia os mais soberbos cavalos jamais vistos e com os melhores arreios, embora todos estranhassem que o mais importante animal fosse um asno com orelhas compridíssimas . Mas não fora por um mero capricho que o rei lhe dera tamanha distinção. O asno era merecedor de todas as regalias e honras, pois, na verdade, se tratava de um asno com poderes mágicos. Todo dia, ao nascer do sol, a sua baia estava coberta de moedas de ouro, que o rei mandava colher.

Mas como a vida não é para sempre um mar de rosas, certo dia a rainha caiu de cama, com uma doença desconhecida que nenhum médico era capaz de curar. No palácio, baixou uma intensa tristeza. O rei foi a todos os templos do castelo e fez promessas, em que se comprometia a dar sua própria vida em troca da cura da amada rainha. Mas tudo foi em vão.

Continuar lendo

As Fadas, de Charles Perrault

Um dos contos do último livro que eu comprei, que eu li e adorei, foi “As Fadas”. Assim, decidi postá-lo aqui pra ver se vocês vão gostar, assim como eu. (O conto que eu escolhi para postar aqui não é exatamente igual ao que está no livro. Como eu encontrei muitas variações pela internet, selecionei a que mais me agradou e fiz algumas alterações em certas expressões, baseadas no meu livro, pra facilitar a leitura. Mas, à parte isso, todas as variações são coerentes umas com as outras.)

Continue lendo…

Contos de Mamãe Gansa, de Charles Perrault

Contos de Mamãe Gansa, de Charles PerraultNa minha última ida à livraria Saraiva, tive um pequeno ataque (foi lindo, vocês tinham que ter visto) e comprei o livro Contos de Mamãe Gansa (Contes de Ma Mère L’oye), do Charles Perrault. Essa nova edição da Coleção L&PM Pocket, traduzida pela Ivone C. Benedetti, contém algumas das histórias mais conhecidas dele, como Chapeuzinho Vermelho, A Gata Borralheira e o Gato de Botas.

Todos esses contos eram, originalmente, de autoria desconhecida, pois eram de cunho popular e passavam de um para outro oralmente. Assim, Perrault foi os recolhendo e registrando entre os anos de 1691 e 1697, e adaptando-os para serem lidos por diversos públicos.

Nós conhecemos essas histórias como contos de fadas, historinhas infantis que nossos pais nos contavam quando eramos crianças. Mas, nesse livro, elas são contadas à la Charles Perrault, tendo como principal tom o humor e o irreal, porém, ainda retratando, de um certo modo, a sociedade da época.

O que eu mais gostei dessa edição é que acompanha as “morais da história” e, dependendo da história, estas podem ser bem cruas, maliciosas. Não me lembro em que site eu li, mas sei que a classificação do livro era para maiores de 10 anos, pelo fato de muitas das histórias não terminarem com um “final feliz”. Aparentemente é tenso e a gente (eu, pelo menos) logo pensa “SANGUE E DOR E REJEIÇÃO!” (vide Pequena Sereia), mas não, não tem nada disso. Apenas não é mantida a ilusão do perfeito e maravilhoso.

Enfim, estou lendo o Contos de Mamãe Gansa e, conforme for, vou postando aqui alguns contos que estão nele. Fiquem atentos, muchachos!

Laís