Pele de Urso, dos Grimm

Ilustração de R. Anning Bell

Pele de Urso, do original Bearskin, é o conto número 101 dos Irmãos Grimm. Apesar de pouco conhecida, a história tem diversas adaptações, indo da televisão para o teatro (lá embaixo, vai rolar um vídeo do episódio da série From the Brothers Grimm e algumas artes, mas só pra quem ler o conto todo, heim!). Vi algumas ligações com o Pele de Asno (que a gente já postou aqui) e A Bela e a Fera (aqui), mesmo que não sejam suas variações.

E falando em variações, esse conto tem duas (que espero achar e traduzir pra postar aqui!): Don Giovanni de la Fortuna, que está incluído no Pink Fairy Book, do Andrew Lang, e o The Devil’s Breeches, incluído no  Italian Folktales, do Ítalo Calvino. As duas variações tem elementos diferentes, mas continuam com o mesmo foco.

Enfim, bora ler?

“Há muito, muito tempo atrás, havia um jovem que se alistou como soldado, e era sempre o primeiro a avançar quando se tratava de chuvas de balas. Enquanto durou a guerra, tudo lhe correu às mil maravilhas; mas assim que a paz foi assinada, ele foi demitido, e o comandante disse para que ele fosse onde desejasse. Seus pais haviam morrido e, portanto, ele não tinha mais casa. Então voltou para a casa de seus irmãos e pediu para que o aceitassem e que ficasse com eles até a próxima guerra.

Continuar lendo

Katia Oloy

Katia Oloy nasceu em Odessa, Ucrânia, e é mais uma visual development artist da Disney (a primeira que você viu aqui foi a Claire Hummel).

Dando uma stalkeada na moça, encontrei muita coisa linda que vou compartilhar com vocês. Katia não desenha só princesas, mas várias outros personagens da Disney também, e eu super indico que você cheque o máximo que puder dela!

Continuar lendo

A Bela e a Fera, de Mme. Jeanne-Marie de Beaumont: Parte I

Não deve haver, no mundo, pessoa que não conheça a história A Bela e a Fera, sendo por causa do filme da Disney ou não. La Belle et la Bête, no original francês, é um conto escrito inicialmente por Gabrielle-Suzanne Barbot (1695 — 1755), no ano de 1740, mas que tornou-se muito mais conhecido após Madame Jeanne-Marie LePrince de Beaumont (1711 — 1780) reescrevê-lo, em 1756.

Ao reescrever o conto, Beaumont omitiu alguns elementos.  Dizem que, na versão de Barbot, a Fera era um príncipe órfão que foi deixado aos cuidados de uma fada malvada que tentou seduzi-lo e, quando ele a recusou, ela o transformou na tal da Fera. No original, também diz que a Bela não é filha do mercador e sim descendente de um rei, e que a mesma  fada que tentou seduzir o príncipe também tentou matar Bela para casar com seu pai e virar a rainha, fazendo com que a Bela tomasse o lugar da filha morta do mercador, para sua proteção. Enfim, dá pra notar que o conto original é bem diferente, com todo um enredo de novela mexicana. Conto esse que eu não achei, olha que legal! (estou chorando)

Já que é o que temos, deixo pra vocês o conto na versão de Beaumont. É um bocado longo, então vai ter que ser dividido em duas partes. Espero que vocês gostem!

Continue lendo…