Especial Castelos: Palácio de Placentia

Localizado em Greenwich, Londres, nas margens do Rio Tamisa, encontra-se o complexo Old Royal Naval College. Mas ele nem sempre foi conhecido por esse nome: construído em 1428 pelo Duque de Gloucester, o palácio que existia ali foi batizado de Bella Court em seus primórdios. Porém, por uma desgraça com a Rainha Margarida de Anjou, em 1447, o duque acabou sendo preso por alta traição e morrendo na prisão. A rainha, então, tomou posse do palácio e o rebatizou de Palace of Placentia, muitas vezes chamado de Palace of Pleasaunce (“Pleas” como em pleasure/prazer e “aunce” implica “em estado de”/”state of“).

Durante os dois séculos seguintes, o Palácio de Placentia, também conhecido como Palácio de Greenwich, permaneceu sendo a principal residência real. Foi o lugar do nascimento do Rei Henrique VIII, assim como de suas duas filhas, ambas futuras Rainhas da Inglaterra, Maria I e Elizabeth I. Além disso, ainda foi o cenário de seu casamento com Ana de Cleves, no ano de 1540. No pátio do jardim que o rodeia, há uma árvore conhecida como o “carvalho da Rainha Elizabeth”, pois afirmam que ela teria brincado no local por muitas vezes quando criança. Durante alguns anos do século XVI, tanto Maria quando Elizabeth viveram no Placentia.

O Queen’s House, um dos anexos do palácio, foi desenhado e iniciado entre 1614 e 1617, pelo arquiteto Inigo Jones, a mando da Rainha Ana da Dinamarca, esposa do Rei Jaime I. Após, lá por 1635, foi alterado e completado por Jones para a Rainha Henriqueta Maria de França, esposa do Rei Carlos I. O Queen’s House é tido como um dos edifícios mais importantes da história da arquitetura britânica. Por insistência da Rainha Maria II, que queria muito continuar a ter a maravijosa vista do Tamisa, nada foi construído em frente ao edifício, como dá pra perceber na imagem do topo.

O Palácio de Placentia, durante toda a sua existência, foi usado para diversos fins: durante a Guerra Civil Inglesa, acabou servindo como uma fábrica de biscoitos e também como campo de prisioneiros de guerra. A edificação central acabou por ser demolida entre 1660 e 1690, por conta dos danos causados pela guerra, e foi substituída pelo Hospital de Greenwich, construído entre 1696 e 1751. Esse novo conjunto de edifícios foi contruído por Christopher Wren sob iniciativa da Rainha Maria II, destinado a servir como um hospital-residência para marinheiros feridos. Em 1873, o hospital foi fechado e, até 1988, deu lugar ao Colégio Real Naval de Greenwich e também a um centro de treinamento de oficiais durante a II Guerra Mundial. Desde então, a Universidade de Greenwich e o Colégio Trinity de Música é que se encarregam de todos os edifícios, o tendo como Museu Marítimo Nacional.

O campus já foi utilizado em produções de cinema por diversas vezes: apareceu em O Discurso do Rei, servindo como um “dublê” para o Palácio de Buckingham; em Piratas del Caribe 4; em Os Miseráveis e também em Thor: The Dark World.

Hoje, o palácio (o que sobrou dele, pelo menos…) é considerado um dos Patrimônios Mundiais da Unesco. :3

Laís

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s