A Filha-de-Neve e o Filho-de-Fogo, de Andrew Lang

Escritor escocês e autoridade nas literaturas grega, francesa e inglesa, Andrew Lang foi o escritor de uma das séries de livros mais gracinhas do mundo. De um desses livros, o The Yellow Fairy Book, tirei o The Snow-Daughter and the Fire-Son, que conta a  história  de dois irmãos que começou e, também, terminou de uma maneira, no mínimo, estranha. Enfim, deem uma lida e digam o que acharam. Hasta!

“Era uma vez um casal que não podia ter filhos, o que era uma grande tristeza para eles. Em um dia de inverno, quando o sol estava brilhando, os dois saíram de dentro de sua pequena casa e a mulher ficou a observar os pequenos pingentes de gelo que pendiam do telhado. Ela suspirou e, voltando-se para o marido, lhe disse:

-Eu gostaria de ter tantos filhos quanto há pingentes congelados aqui.

-Nada me agradaria mais. – respondeu o marido.

Em seguida, um dos pingentes se desprendeu do teto e caiu na boca da mulher, que o engoliu com um sorriso e disse:

-Talvez eu possa dar à luz uma criança de neve, agora!

Seu marido riu da estranha ideia de sua esposa e eles retornaram para dentro da casa.

Mas, depois de um certo tempo, a mulher deu à luz uma menina, que era branca como a neve e fria como o gelo. Se eles colocassem a criança em algum lugar perto do fogo, ela gritava em plenos pulmões, até que colocassem-na novamente em algum lugar frio. A pequena crescia maravilhosamente e, em poucos meses,  já corria e falava. Porém, ela não era muito fácil de se levar e trouxe a seus pais muita dificuldade e ansiedade. Passava todo o verão na adega e, no inverno, gostava de dormir fora, na neve; quanto mais frio estava, mais feliz ela ficava. Seus pais a chamavam simplesmente de “nossa filha-de-neve”, e este nome ficou com ela por toda a sua vida.

Um dia, os pais, sentados em frente ao fogo, falavam sobre o comportamento extraordinário de sua filha, que se divertia na tempestade de neve que se alastrou afora. A mãe suspirou profundamente e disse:

-Eu gostaria de ter dado à luz um filho-de-fogo!

Foi dizer essas palavras e uma centelha de fogo da grande lareira voou direto ao colo da mulher, que disse, com uma grande risada:

– Quem sabe agora eu dê à luz um filho-de-fogo!

Naquele momento, o homem riu das palavras da mulher , achando que era uma brincadeira. O que deixou de achar, pois, pouco tempo depois, sua esposa deu à luz um menino que gritava vigorosamente até que fosse colocado perto do fogo e que quase tinha ataques se a filha-de-neve chegasse perto dele. A garota evitava ao máximo ficar perto dele, ficando sempre no canto mais longe possível. Os pais chamavam o menino de “nosso filho-de-fogo”, um nome que ele aderiu por toda a sua vida. Eles tinham muito a se preocupar com ele também, mas, como sua irmã, ele cresceu  rapidamente e, antes que tivesse um ano de idade, já podia correr e falar.

Ele era vermelho como o fogo e muito quente ao toque. Estava acostumado a sentar-se sempre bem perto da lareira e queixava-se tanto do frio que, quando sua irmã estava no mesmo cômodo, quase se arrastava para dentro do fogo, enquanto ela sempre reclamava do calor se seu irmão estava por perto.

No verão, o garoto se sentava ao sol, enquanto sua irmã se escondia no porão. Assim, aconteceu de os dois crescerem com quase nenhum contato – de fato, eles cuidadosamente se evitavam. Assim que a garota cresceu e virou uma linda mulher, seus pais morreram, um após o outro. Então, o filho-de-fogo, que nesse tempo havia se tornado um jovem bonito e forte, disse a sua irmã:

– Para que permanecer aqui? Eu estou saindo para o mundo.

-Eu vou contigo, – ela respondeu – porque, além de ti, não tenho mais ninguém nesse mundo! E ainda tenho o sentimento de que, se partirmos juntos, teremos sorte.

– Eu amo você, – disse o filho-de-fogo – mas, ao mesmo tempo, eu sempre congelo se você está perto de mim e você quase morre se eu me aproximo de você! Como vamos viajar juntos sem sermos odiosos um para o outro?

– Não se preocupe com isso – respondeu ela – Eu pensei em tudo! Bolei um plano que nos fará capazes de aguentar um ao outro. Veja, eu tenho aqui uma capa de pele feita para cada um de nós e, se nós a colocarmos, eu não sentirei calor e nem você sentirá frio.”

Eles, então, colocaram as capas e partiram alegremente em seu caminho. Pela primeira vez em suas vidas, ficaram felizes na companhia um do outro. Por um longo tempo, o filho-de-fogo e a filha-da-neve vagaram pelo mundo e, no início do inverno, quando eles chegaram a um grande bosque, decidiram ficar por lá até a primavera. O rapaz construiu para si uma cabana, onde ele sempre se manteria bem aquecido, enquanto sua irmã, com pouca roupa, ficava no lado de fora dia e noite.

Snow DaughterUm dia, o Rei daquela terra realizou uma caçada naquele bosque e, assim, viu a filha-da-neve passeando ao ar livre. Ele pensou muito sobre quem aquela linda garota, em tão poucas roupas, poderia ser e acabou parando para falar com ela. Ele rapidamente aprendeu que ela não conseguia suportar calor e que seu irmão não conseguia suportar o frio. O Rei, de tão encantado com a filha-de-neve, pediu para ela ser sua esposa. A menina consentiu e o casamento foi realizado com grandes cerimônias. O Rei construiu uma enorme casa de gelo para sua nova esposa, no subterrâneo, de modo que não derretesse nem mesmo no verão. Para seu cunhado, fez uma casa com enormes fornos por todos os lados, para que ele se mantivesse aquecido dia e noite. O filho-de-fogo ficou lisonjeado, mas o calor perpétuo de sua casa fez seu corpo ainda mais quente, o que tornava cada vez mais difícil a convivência com ele.

Um dia, em um banquete oferecido pelo Rei, ele chamou por seu cunhado, que não apareceu até que todos estivessem reunidos. Quando o fez, todos fugiram para fora, ao ar livre, de tão intenso que era o calor no ambiente. O Rei, que ficou muito zangado, disse:

– Se eu soubesse o tanto de problemas que você me causaria, nunca o teria trazido para minha casa!

Em seguida, o filho-de-fogo respondeu, com uma risada:

– Não fique zangado, querido irmão! Eu amo o fogo e minha irmã ama o frio! Agora, venha aqui e dê-me um grande abraço, para que eu possa ir para casa de uma vez. – E, sem que o Rei pudesse ter tempo de responder, o filho-de-fogo agarrou-o num abraço. O Rei gritou alto, em agonia. Quando a filha-de-neve, que havia se escondido de seu irmão num quarto próximo, correu para ele, seu marido já estava ao chão, virado em cinzas.

Após ver aquela cena, a filha-de-neve voou em direção ao seu irmão e, assim, teve início uma briga como nenhuma já vista na Terra.

Quando as pessoas, atraídas pelo barulho, finalmente chegaram ao salão, tudo o que encontraram foi a filha-de-neve transformada em água e o filho-de-fogo em forma de brasa. E, assim, teve fim a história dos dois infelizes irmãos.”

Laís

Anúncios

3 comentários sobre “A Filha-de-Neve e o Filho-de-Fogo, de Andrew Lang

  1. Pingback: A Princesa Sapo, de Italo Calvino | Fairytale Land Stories

  2. kkkk é trágico mas é cômico… não sabia que tinha um conto específico sobre esse tema, um príncipe de fogo e uma princesa de neve… naqueles jogos que falei pra vocês um pouco, no jogo 7 traz personagens com essas características…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s