Especial Castelos: Palácio de Versalhes

Este palácio é considerado um dos maiores do mundo! Ele conta com 2.000 janelas, 67 escadas, 352 chaminés e 700 quartos, sem falar que ele é capaz de abrigar 6.000 cortesões. Uma extravagância, não acham? Mas, mesmo assim, belíssima.

tumblr_mgr8neMCud1r6jrbbo1_500

O palácio fica localizado no subúrbio de Paris, numa cidade chamada Versalhes, e é um dos pontos turísticos mais visitados da Europa. Ele foi construído em 1661, pelo Rei Luís XIV. O Rei Sol, quando não estava ocupado com guerras, gostava de dirigir pessoalmente a construção. Inicialmente, a cidade serviu como capital política da França, o que levou o monarca a se retirar das intrigas e criar um lugar onde a corte pudesse viver sob a palma de sua mão. Assim, em 1682, a corte finalmente se mudou para Versalhes, que foi capital  por 107 anos.

Petit Trianon

Petit Trianon

Após a morte do rei, Luís XV criou o famoso Petit Trianon, um verdadeiro ninho de amor para ele e sua amante, Madame Du Barry, que era usado para fugir das regras e etiquetas da corte.  Luís XVI fez diversas modificações no palácio, a maioria por causa de sua rainha, Maria Antonieta. Foram criados inúmeros cômodos para ela e, além disso, para sua privacidade, foram erguidos pavilhões nos jardins, conhecidos como Os Domínios de Maria Antonieta, onde provavelmente ficaria O Vilarejo da Rainha, lugar de completa fuga e diversão, onde ela e seus companheiros da corte fingiam ter uma vida camponesa.

Entretanto, Versalhes, com suas extravagâncias, foi à decadência em 1789, quando as multidões da revolução francesa marcharam para lá e levaram um terrível destino ao magnífico palácio e a todos que lá viviam.

Tendo conhecido um pouco da história do palácio e das pessoas que o habitaram, é triste pensar que um lugar que era, antigamente, cheio de vida, de risos, de festas e de música agora serve de passeio para turistas que, em sua maioria, não visualizam, não sentem, não imaginam que aquelas paredes antes abrigaram reis e rainhas, príncipes e princesas, uma corte inteira que se dissipou de repente, sem mais nem menos.

Alícia

Anúncios

6 comentários sobre “Especial Castelos: Palácio de Versalhes

  1. Pingback: Especial Castelos: O Petit Trianon | Fairytale Land Stories

  2. Acho que até mesmo a população francesa, renega esse passado de luxo e ostentação, visto que muitas tragédias que se sucederam durante a revolução francesa e o império de Napoleão… Versalhes, apesar de ser lindo, é o símbolo da miséria francesa da época dos Luises, já que ele só podia se manter graças aos impostos exorbitantes, pois a maioria das guerras foram perdidas e por isso muito dinheiro foi desperdiçado. A sociedade, não ganhava nada pelo impostos que pagavam, continuavam a viver na miséria para bancar o luxo da corte e do clero que vivia ao redor do palácio… muita tristeza e desigualdade se escondia por trás das belíssimas festas que você se referiu.

    • Quando Luís XVI assumiu o poder, Luís XV já havia deixado a situação econômica bem crítica para o seu jovem e inexperiente neto e esposa. Não havia nada mais que pudessem ter feito para melhorar a situação além do que já faziam (e que ninguém reconhece porque, como sempre, só se lembram das coisas ruins). O que sei sobre isso foi o que aprendi lendo biografias de Maria Antonieta. Não defendo os luxos da época, mas também não defendo as atrocidades que fizeram aos nobres durante a Revolução Francesa. Enfim, não vamos nos estender mais nesse assunto até porque o post não foi feito para esse fim e sim para mostrar, assim como mostramos em todos os posts do Especial Castelos, um pouquinho da história e das belezas dessas construções magníficas. Tenho certeza de que não só Versalhes, mas todos os castelos que postamos aqui têm seus pontos ruins se observarmos pelo ponto de vista da plebe do local/época 🙂

      Obrigada pelo comentário de qualquer forma, Nívea. É sempre bom essa troca de opiniões 🙂

  3. Concordo que a gente não deva aqui expôr tanto sobre o assunto, além do castelo em si, que é realmente lindo e é a razão desses posts.
    Também concordo que um erro não justifica o outro, a guilhotina não foi a solução para nada, só trouxe, mais e mais injustiça.
    Sou professora de História e não posso negar os fatos, isso sempre acaba me puxando a querer discutir sobre o assunto, afinal não faria faculdade de História, se não gostasse disso… e é impossível pra mim olhar o Palácio de Versalhes e não pensar em História, principalmente quando é das épocas que eu acho mais interessantes: séculos XVIII e XIX.
    Cada dia, eu gosto mais de vir aqui, apesar de saber que eu tenho uma insistência um pouco chata, leio cada post com muito entusiasmo, e gosto muito o jeito que vocês descrevem tudo.

    • Nívea, é um grande prazer ter você como nossa leitora, afinal, o que nós seríamos se não fosse por vocês? Fazemos o blog tanto para nós, para engrandecer nosso intelecto com todas as pesquisas para elaborarmos todos os posts quanto para nossos leitores engrandecerem seus próprios intelectos de alguma forma! Adoro seus comentários, são sempre muito bons e coerentes! 🙂

  4. Pingback: Especial Castelos: Château de Chambord | Fairytale Land Stories

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s