Sílfides

A palavra “sílfide” vem do latim “sylfiorum”, elemental do ar, e por derivação de “silfo” se criou a forma “sílfide”, ninfa do ar ou fada do ar. Portanto,  sílfides e silfos são seres elementais do ar, sendo as sílfides a forma feminina dos silfos.

Na mitologia grega, as sílfides eram conhecidas desde o princípio dos tempos,  eram temidas e consideradas senhoras do ar e dos ventos. São espíritos muito belos, de pele branca e muito fina, altos e esbeltos , muitas vezes assemelhados a anjos. São, também, os mais elevados de todos os elementais, podendo viver centenas de anos e nunca chegar, de fato, à velhice.

Os silfos são responsáveis por purificar o ar e, além disso, moldar os flocos de neve e movimentar as nuvens. Mas, como todos os elementais, seu estado de ânimo pode afetar diretamente a natureza, provocando vendavais, furacões, etc.

Diz-se que os silfos, além de terem sua tarefa na natureza, rodeiam a mente dos sonhadores; eles intervêm na nossa vida quando nos surpreendemos com uma ideia para a solução de algum problema ou quando nos vem à mente uma palavra que há muito tentávamos lembrar. Além disso, se afeiçoam a crianças e aos que possuem certa sensibilidade artística e inocência.

Esses seres são muito representados e muito populares no balé clássico. A Sílfide (La Sylphide) é um balé de repertório muito antigo, se não o primeiro a ser criado. Foi coreografado (inicialmente, pois logo surgiriam outras montagens feitas por outros coreógrafos) por Filippo Taglioni, criador das sapatilhas de ponta, em 1832. Filippo tinha uma filha chamada Maria, uma das mais famosas bailarinas do mundo inteiro, que foi a primeira a dançar em A Sílfide.tumblr_ltdmj3ST4Q1qhs2nno1_500

A história se passa na Escócia, onde James, um camponês, noivo de uma moça chamada Effie, se apaixona por uma sílfide no dia de seu casamento, abandonando sua noiva para ficar com o seu amor. Mas, James percebe depois que nunca poderia viver com a sílfide como uma mortal e, então, encontra uma bruxa, que lhe dá um lenço mágico e diz que, se ele amarrasse na cintura da sílfide, ela viraria mortal. Mal sabia James que aquela bruxa foi a mendiga a quem ele negou abrigo há muito tempo atrás e que ela está querendo apenas se vingar do que ele lhe fez. Feliz, ele vai ao encontro da sílfide e amarra o lenço em sua cintura. Perdendo as suas asas, ela morre, e James, furioso com  a bruxa, vai ao seu encontro e acaba morrendo.

Alícia

Anúncios

Um comentário sobre “Sílfides

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s